as tesouras

0f17d23e9cd4a6149bad1080e182e1ae_original

f874efb1c28bffe8372821f25ae71218_original

É muito fácil perceber que não há qualquer valor funcional nestes dois desenhos. Os personagens neles contidos não são personagens de verdade no game. As suas roupas não contêm nenhum detalhamento importante. E, acima de tudo, não há o menor vestígio de como a ambientação do jogo pode vir a se tornar. No lugar disso, estes personagens são retratados em uma cena crua, que desafia o propósito principal que a produção de arte para games pode assumir. O motivo é simples: estes rabiscos nunca foram pensados com o objetivo de cumprir tal função.

[…] [Neles] vejo algo que é impossível de modelar, mapear ou texturizar. Eu vejo o poder altamente problemático que as crianças podem possuir, a promessa fugaz de uma futura perturbação devastadora. E o que dizer do trio distintivamente matriarcal que levou suas costuras para um lugar escuro e isolado? Um menininho aborda a garota, exigindo sua atenção. Então ele é um irmão? Por que não um filho? O conflito se prolonga, e se concretiza. Um aluno jaz prostrado, com outro por cima dele. A vítima se esforça para ver o que está acontecendo atrás dela, sem sucesso, enquanto seu algoz segura sua cabeça, solicitando tesouras.

Isso tudo é realmente sobre um corte de cabelo? Talvez seja de fato o caso, mas como podemos ter certeza em uma situação tão rica em oportunidades? O que acontecerá quando a tesoura estiver em suas mãos depende da imaginação de cada um. Os óculos caem. Os olhos se arregalam em antecipação…

Meethos

Leave a Comment

Campos obrigatórios estão marcados *.